Traumatismo Torácico

     O trauma é a principal causa de morte em indivíduos jovens e representa séria causa de incapacidade para todas as faixas etárias, constituindo-se em grave problema socioeconômico.

     De 57 milhões de traumatizados nos Estados Unidos, dois milhões são hospitalizados, e destes, 150 mil morrem. Para cada morte por trauma estima-se que haja duas incapacidades permanentes.

     No Brasil, a situação não é diferente: o trauma representa a 4ª causa de morte na população. A cada ano, mais de 100 mil brasileiros morrem por trauma, sendo essa a principal causa de morte no país, e em cada capital isoladamente, na faixa etária entre 5 e 40 anos de idade.

     No tórax, os ferimentos penetrantes produzidos por instrumentos cortantes causam lesões diretas nos órgãos atingidos, menor número de lesões associadas e, em geral, com exceção do coração e grandes vasos, são lesões menos graves e de tratamento mais fácil, o que parece justificar sua menor mortalidade em relação às lesões por arma de fogo. Neste, além das lesões resultantes do contato direto com o projétil ao longo do seu trajeto, há lesões à distância, decorrentes da energia desprendida durante o seu percurso.

     No trauma fechado, a extensão da lesão que resulta está relacionada com a magnitude e a duração da força aplicada, sua velocidade, e com a área sobre a qual é aplicada. As forças de aceleração e desaceleração, de compressão, de cisalhamento e de torsão contribuem para a formação desta lesão. Os traumas contusos são mais frequentes, desde traumas mais leves, com rápida evolução à alta hospitalar após o tratamento adequado, até traumas mais graves, e que estes são os responsáveis pela maior mortalidade. Atualmente, cerca de 25% das mortes em politraumatizados são consequentes ao trauma torácico, visto que este segmento corpóreo aloja órgãos de vital importância, como o coração, os pulmões e os grandes vasos.

     Em um recente levantamento realizado pelo nosso grupo, os acidentes motociclísticos foram os principais responsáveis  pelo trauma de tórax em nossa região, seguido pelas agressões por arma branca.

     A melhor solução para o trauma é a prevenção; portanto, conhecer a população mais suscetível e seus agentes causadores é importante para instituir medidas preventivas e de conscientização, visando diminuir sua ocorrência no futuro.


Creditos: Andressa Miranda Magalhães e Gustavo Alves Araújo Ferreira